terça-feira, 20 de julho de 2010

Peninha...

Há dois dias atrás vi uma cena no metrô de me cortar o coraçao, uma mae brasileira falava alto com o filho sentado no carrinho. A criança devia ter uns dois anos  e meio a três e estava choramingando no carrinho, a mae já de saco bem cheio repetia bem alto em português é claro:
-Já nao te aguento mais ouviu? Eu nao te aguento vou te jogar no lixo.
E outras coisinhas simpáticas do genêro.Óbvio que eu já perdi a cabeça com os meus e pra quem está de fora tudo sao rosas, mas eu acho que certas coisas nao deveriam ser faladas pra crianças é tao dolorido ouvir da própria mae eu nao te aguento, nao te suporto!!!
Fiquei com dó, a criança parava um pouco de choramingar pra voltar logo em seguida, e aí voltavam os xingamentos, ainda bem que nós entramos em metrôs diferentes.

6 comentários:

bibi move disse...

poutz que coisa mais triste.
eu fico muito abalada quando vejo esse tipo de cena. me corta a alma e tenho vontade de carregar a criança pra ser assim loucamente amada e RESPEITADA.
por que é tão difícil entender esse direito básico do ser humano?

Paula disse...

eu teria soltado algum comentário, não me aguentaria! Tipo: "se você parar se tratá-lo como lixo quems abe ele para de chorar de tristeza por ter uma mãe dessas?"
Af que eu não aguento esse tipo de gente

Lúcia Soares disse...

Carla, bem que eu teria vontade de interferir, mas não sei se o faria...
Pelo menos falarai um "Meus Deus, que absurdo!" pra ela ouvir e saber que estava entendendo o que dizia. (sei lá se faria isso também!)
Há mulheres que não poderiam ser mães nunca. Esse tipo de frase marca para sempre uma criança.
Deus me livre!

Marcia H disse...

aí, eu teria interferido, apesar de saber que ia jogar saliva fora. Teria dito algo como Paula ou mesmo falado: quer me dar pra eu cuidar, já que vc nao tem paciencia?

Anunciação disse...

Desconfio,por experiência própria que não teria me contido.Uma vez saí do consultório e entrei no da pediatra ao lado e ameacei uma mãe de prisão se ela desse mais uma palmada no filho;já era bem o terceiro estalo que eu escutava porque a criança chorava com medo de abrir a boca pra garganta ser examinada.

Tatiana disse...

Nossa...da tristeza mesmo, imagina em casa? Tomara que tenha sido so um momento desses de desespero!
Uma graça o seu blog!
Bjs,Tati.