terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Vida louca vida


Se eu nao tenho escrito mais, é porque a minha vida anda tao, mas tao galmurosa que simplesmente nao me sobra tempo. Entre passeios de limusine, noites de autógrafo, tirar piolho da Gaby (de novo), ficar presa na lavanderia por três horas, ando sem tempo pra banalidades como postar, por estar bem mais ocupada com coisas "importantérrimas".

No fim das contas acabei presenteando o Alex com várias coisas. As Marcias acertaram nas sugestoes, Alex adora cozinhar e anda numa fase macarrao japonês, entao comprei uma panela de Wok, super legal, e um livro de receitas para Wok. acabei comprando também DVDS de uma temporada de The King of Queens que ele adora. E já que ele estava precisando mas nem estava querendo, comprei também dois puloveres novos.

E mudando já de assunto, antes de ontem, estava eu bem linda, loira e lisa, ( e lógico de meia fina, havaianas e calça jeans rasgada na coxa) limpando o meu porao quando tive a ótima ideia de pedir pro Felipe pegar uma coisa que eu tinha esquecido em casa. A criança que é lógico filho da mae dele e por isso tambem nao tem memória (defeito de fábrica), subiu pegou o que eu pedi e bateu a porta de casa com a chave dentro. Ficamos os dois com cara de folha verde lá embaixo. Quando meu vizinho apareceu, quase pedi pra subir na casa do moço pra tomar um café, me senti a pessoa mais infeliz só em saber que eu teria que esperar por pelo menos TRÊS horas, até que alguém chegasse. O moço muito alemao, além de nao me oferecer abrigo e nem café ainda completou dizendo que eu tinha muita sorte porque lá embaixo estava quentinho.
-Moço e seu eu tiver vontade de fazer xixi nessas três horas....?
Tá eu só pensei baixinho nao tive coragem de falar.
Muito na cara de pau lá fomos eu e o Felipe andando na chuva (lembrem-se de meia fina e havaianas) até o prédio vizinho onde mora uma amiga, que pra minha sorte estava em casa e como nao é alema nem nada, até me ofereceu café.
Agora aprendi, pra descer na lavanderia, só se for maquiada, de sapatos, com chave de casa de reserva, perfumada e lógico com a porcaria do celular porque eu nao sabia o telefone de ninguém de cor.

E na minha segnunda fase glamurosa, tô eu agora no portao de embarque quando toca o meu celular, era a professora da Gaby pedindo pra eu buscá-la imediatamente porque ela está com piolhos.
Ah mas será possível, como é que podem existir tantos piolhos nessa terra? Como é que esses insetos resistem a esse frio?
-Senhora professora, posso buscá-la em uma hora mais ou menos? É que eu estou no trabalho e vai ser difícil eu sair daqui exatamente AGORA.
-A senhora me desculpe mas tem que ser AGORA, sabe é estatuto (lei, regra, mandamento ou sei lá eu o que), crianças com piolho nao podem permanecer na escola.
Viu? Se vira, larga essa gente aí no portao de embarque e corre pra buscar Gaby.
Cara, eu adoro esse país organizado onde os vizinhos nao oferecem café e nem abrigo pra pessoas desmemoriadas presas no porao e que segundo a lei dos piolhos capítulo sei lá eu o que parágrafo nao sei das quantas eu tenho que buscar a minha filha JÁ!!!
Gaby tava apavorada achando que eu ia passar o maior sermao porque ela nunca prende o cabelo e bláblá, entao já foi se explicando que tudo começou quando ela e uma amiga resolveram comentar com a professora que a "fulaninha" devia estar com piolhos porque nao parava de coçar a cabeça. A professora expert em piolhos resolveu entao olhar todas as nobres cabecinhas da classe e além da fulaninha, Gabriela boca grande e amiguinha dedo duro entre outras também estavam. Desnecessário dizer que "Fulaninha" tem o cabelo até a cintura e mamae de "Fulaninha" está viajando a trabalho, só me resta rezar para que "Fulaninha" tenha uma avó dedicada.
Como já estou me tornando expert em piolhos germânicos, dessa vez decidi comprar um remédio diferente e sem querer acabei comprando algo completamente inesperado: silicone. Puro e simplesmente, sem inseticida e nada de cheiro ruim.

O remédio é novo, e é coberto pelo seguro saúde para crianças até 12 anos, novamente segundo a lei piolhística do país, mas eu nao estava com a menor paiência de ficar sentada horas no pediatra, isolada numa sala. E nao é que o negócio funcionou?


Gaby já está devidamente despiolhada (segundo as instruçoes o silicone sufoca os piolhos) e com o cabelo emplastrado desse negócio que na verdade nao é tal fácil assim de tirar da cabeça, sem deixar aquela aparência gosmenta de gel de cabelo barato.

Aí me lembrei de mim quando peguei piolho uma única vez aos sete anos e depois do Neocid a minha mae me emplastrou a cabeça de óleo Johnson, pro pente fino escorregar melhor.
Gente a minha mae devia ter patenteado o óleo Johnson como ajudante ativo despiolhante.

10 comentários:

Marcia H disse...

que legal, um wok decente é tudibom

olha, agora bota sua roupa de glamour e vai despiolhar o quarto e as roupas dela: toucas, cachecois, travesseiro, bichinhos de pelúcia, etc e tal, ou com calor (60°C) ou com frio (num congelador por 14 dias), ou coloca tudo num saco plastico, veda e deixa por 15 dias
e fala pra ela nunca emprestar luvas, cachecois, toucas etc
e pendurar tudo separado das outras piolhentas da classe
bjssss

Camila disse...

Já me tranquei pra fora de casa, por 12 horas seguidas, num dia frio. Sem casaco, de chinelo, foi uma "delícia"... Já me tranquei pra fora de casa (moro num prédio que tem um Trockenzimmer trancado a chave) com uma bacia de roupas pra pendurar. Fiquei umas boas duas horas com o po no mármore frio da escada, esperando pela cavalaria... (eu e as roupas úmidas)
Acho que todo mundo tem pelo menos uma história dessas pra contar, né? Que bom que a sua amiga te ofereceu abrigo e café!

mineirinhanalemanha disse...

Há muito tempo nao ria tanto, hehehehe... E olha que se vc vai pedir receita para piolho é recebido com aqueles olhares de "sua suja", é terrível mesmo. Mas muito obrigada pela dica, vou guardar no fundinho da minha memória para um futuro (espero) nao próximo... E o mais engracado é que as pestinhas nem desistem de aparecer no inverno, né? Mas sabia que azeite e portanto tudo o que escorrega e pode ser espalhado pela cabeca toda, capaz de sufocar as pestinhas, é bom pra matar piolhos? E aquele pentinho faz milagres... Mas que dá um trabalhao, contando com as roupas de cama, sufocamento de bichinhos de pelúcia, etc. etc. etc., isso é verdade! Li as histórias pro meu marido e ele perguntou: quem é essa? Eu disse: é uma brasileira muito engracada que mora também aqui na Alemanha. Ele ouviu e riu até comigo!... :-) Beijos, Sandra

ESTER disse...

Piolho??? é meu trauma de infancia (peguei mtas vezes) e de qdo minha filha era crianca, tbm!!!
O pediatra brasileiro dela tbm indicou óleo johnson!!!
Sua máe é sábia.
Bjos, Ca e forca! Afinal, tudo passa...

Anunciação disse...

Eu levei neocid na cabeça junto com meus irmãos quando era pequena.E haja pente fino e oleo johnson!

Marcia disse...

Epa! Bota água no feijão - e uma roupa decente- que to baixando aí pra assistir os dvds :)

E engraçado mesmo esses bichos sobreviverem a uma temperatura dessas!

Sergio e Marilena disse...

Não posso ouvir falar em piolho que minha cabeça coça. Eu peguei piolho varias vezes na infancia. O pior eram as lendeas que se perdiam neste monte de cabelo cacheado. Horrivel!!!

Jaboticaba Preta disse...

Qdo peguei piolho pela primera vez, minha mãe fez um cocktail 'molotov' de pobre nas nossas cabeças:

Ela misturou: Neocid, Baygon e Vinagre. Colocou um saco plástico e um pano para segurar. Os cabelos ficaram aquela maravilha. Os 3 filhos sobreviveram, mas até hoje ela não aceita que os filhos ficaram meio dã heheheh

Boa sorte no tratamento!!

Ciça Donner disse...

Mana Gracas a Deus que foi só ela... já pensou se a familia toda se empiolha???

Ana disse...

Eu tive uma vez, mas sofri tanto que passei a ir de boné pra escola. Pra me tirar o costume do boné, só fazendo coque. Hoje trabalho em escole adivinhe? Só ando de cabelo preso!

o.O