terça-feira, 13 de março de 2007

Gente....

Trabalhar com gente é sempre complicado, (já disse isso um montao de vezes aqui),mas pode ser muito prazeroso também.
mas putz-grila como tem gente chata nesse mundo.Como tem gente esquisita e gente arrogante.
Quase 100% das pessoas ficam felizes quando encontram alguém do seu país em terra estranha,entao quase todas as vezes que eu tenho um passageiro brasileiro,puxo um papinho em portugues e aumento meu "customer-smile". Esses encontros quase sempre acabam em troca de confidencias.Brasileiro é assim mesmo,mais "escrachado. Certa vez uma passageira que nem estava no meu voo,me ouviu trocando palavras doces ao telefone com o Alex e se aproximou toda feliz. Dali já fiquei sabendo que ela estava fora do Brasil há 20 anos,conheceu seu grande amor pela internet o moço era Nova Iorquino,vi fotos do moço,e até dei palpite.
Em outra ocasiao,uma brasileira que também vive na Áustria há mais de 20 anos,ficou tao "minha amiga" nos trinta minutos em que tivemos contato,que me deu até o endereço pra visitá-la em Viena. Me falou dos filhos que estavam todos casados e espalhados pelo mundo,dos netos que falavam línguas diferentes.
Outra passageira vinda de Bombaim na Índia,ficou tao feliz que me ofereceu mangas que ela disse serem igualzinhas às nossas.
Quase sempre fico sabendo tudo sobre a viagem quanto tempo ficaram,quanto tempo planejaram,quem foram visitar....
Semana passada,tive uma passageira nascida no Brasil com passaporte americano.
Fui puxar um papinho, ao que ela me respondeu, que nao era mais brasileira, que FOI, mas nao era mais,apontando toda orgulhosa para o passaporte americano.
Fiquei tao sem graça e até a minha supervisora que nao entende patavinas de portugues e estava ao meu lado se deu conta do que se passou.
O marido dela querendo quebrar o gelo,falando um portugues meio quebrado ainda tentou me perguntar, se eu era brasileira também e de onde.
Respondi que assim como a esposa dele eu também tinha nascido no Brasil e tinha dupla nacionalidade.
Achei aquilo de uma pobreza de espírito sem tamanho. Sei lá vou pensar bem da próxima vez antes de puxar papo.
Vai saber...existe todo tipo de gente né?

9 comentários:

Sergio e Marilena disse...

Eu sei bem como é isso. Quando fiquei am Atlanta conheci um monte de brasileiroa atraves do orkut. Conhecemos em uma festa um casal que ficou muito triste quando soube que viríamos embora para o Brasil. De uma maneira geral sempre tive experiencias muito boas com brasileiros no exterior mas... certa vez encontrei um grupo religioso que estava cantando uma canção que eu costumava cantar na igreja católica. Fui toda feliz falar com eles e disse que tb conhecia aquela canção pois cantava na igreja. O senhor com quem falei me perguntou minha religião e quando disse que era católica (em plena praça de São Pedro em Roma)tive que ouvi-lo dizer que os católicos roubaram aquela música da igreja deles e falou um monte porque os católicos cantavam aquela musica também.
Fiquei decepcionadíssima e agora tomo cuidado também antes de puxar papo.

Marcia disse...

Carla você esqueceu de dizer pra ela que com passaporte brasileiro ou americano ela vai apodrecer do mesmo jeito quando morrer, hahaha!

Ingrid Littmann disse...

Carla, o brasileiro fica estranho quando mudam de pais, claro que não todos, alguns querem trocar o que antes foi vida. Muitos aqui preferem não fazer amizades com brasileiros.

Na verdade adoroooooooo encontrar um israelense eles sempre abrem um sorrisão quando falo hebraico e a emoção sempre é tão grande.

Acho muito legal essa troca que você, deve ser interesssante gente passando e escutando o portugues e tentando decifrar o que aconteceu depois que eles sairam do Brasil.

Carla disse...

Poxa Marilena,
Roubar música da igreja é de última nao é nao? E eu que achei que já tivesse ouvido de tudo...
Beijos

Taaí Marcia,
"Todos nós apodreceremos independente do passaporte" frase de efeito nao?

Carla disse...

É verdade memso Ingrid,tem brasileiro q nao quer nem saber de conhecer outros barsileiros.
Israelense fica normalmente muito contente e sempre a mesma célebre frase:
"De onde vc fala hebraico?".Acho que é porque o país é tao pequeno....
Bjocas,

kelly disse...

Eu acho que vc NÃO tem que pensar bem da proxima vez, não!
Seja espontânea como sempre, pois este foi UM caso chato entre tantos outros legais.
Pode ser que seja EU da proxima vez a lhe encontrar e se vc se retrair vou pensar tbm:
- como são estranhas brasileiras quando mudam de país,hehe!!!!

Sandra disse...

Hihihi... acabo de colocar um post lá no meu blog meio que sobre isso. Que o ser humano pode ser bem difícil, isso sim! Eu tbém tenho duas nacionalidades, mas pra mim sou brasileira e ponto.

Vanessa disse...

Feriu meus brios patriotas! :-) Bobagem isso, coisa de gente deslumbrada, sei lá com o que.

Márcia Aguiar disse...

Isso é coisa de gente pobre de espírito e deslumbrada com os Estados Unidos. E pra completar ainda falam português com sotaque, mesmo quando só estão há poucos anos fora do país.
Achei sua resposta ótima!