sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Cof Cof

Espanando a poeira... Já que ando tao sem assunto, e devo ficar mais sem assunto ainda já que dois rebentos estao indo viajar daqui a pouco e só voltam no domingo à noite. (E absurdo, fizeram as malas sozinhos pela primeira vez, nao pediram a minha ajuda, nao me perguntaram nada...sofro!).

Entao resolvi participar de um meme que anda rolando por , enquanto nao acontecem coisas mais emocionantes na minha vida.
A idéia é contar seis coisas inusitadas sobre a sua vida, ou seis coisas secretas.
Sei lá se eu tenho seis coisas secretas e inusitadas sobre a minha vida pra contar, mas já que estou sem assunto, vou tentar:

1- Eu brincava em cemitério quando era criança, aliás quando nao era mais tao criança também, acho que brinquei em cemitérios até uns doze anos. Decorei até os nomes de um monte de gente que estava enterrada lá, tinha os meus túmulos favoritos, andava com amigas por lá e ficava imaginando as histórias das famílias e das pessoas que morreram , a gente inventava um monte de histórias com final diferente e olhava todas as fotos. (Eu hein!!!)

2- O Alex (senhor meu marido por quase 18 anos e pai desses minitudo) era namorado de uma super amiga minha, e nós costumávamos andar sempre os três juntos, (isso só é segredo pra quem nao me conhece pessoalmente). Andavam meio em crise durante um tempo, meio brigados... Ela tentou me bater, e reconquistar o antigo amor até quando eu estava grávida da Ju.

3- Já dormi na praia, assim deitada na areia, (mais de uma vez) depois de uma noitada em Tel Aviv. Tinha 16 anos, íamos sempre a um clube com música brasileira e samba e as três da manha nao tinha mais ônibus, dormíamos na areia, até as 5:20 da manha, horário do primeiro ônibus, sempre correndo o risco de ser atropelados por um trator que passava por lá nesse horário pra limpar a areia.




- Amazing videos are here


4- Quase morri afogada aos cinco anos de idade, numa cachoeira, até hoje morro de medo de rio, de mar, apesar de nao ter nenhum problema com piscina e aprendi a nadar logo depois disso, só de ver aquele monte de água escura junta me arrepia até os pelos da coluna vertebral. Minha irma mais velha me salvou.


5- Eu fui a velório de gente que eu nao conhecia. Porque na religiao judaica nao é permitido ver pessoas mortas nem caixoes abertos em velórios, entao pra contrariar o meu pai, e porque eu era curiosa e porque eu morava em cidade pequena e porque em casa trabalhava uma moça que adorava ir à velórios de desconhecidos, eu ia junto. E gostava (credo!!!)

6- Eu fui me confessar. Até aí nada demais se você nao for judeu. Mas eu morava nessa cidade pequena onde todo mundo era católico e todo mundo ia se confessar e eu quis também. E o padre se deu conta de que eu era totalmente crua na arte de confissoes, saiu "daquela casinha" (nao sei como se chama), e conversou comigo, disse que se eu era judia deveria permanecer assim, que judeus nao confessavam coisa e tal, mas que eu poderia conversar com ele sempre que quisesse. Gente, nunca mais esqueci aquele padre, cara legal, eu devia ter uns 10 anos.

Se eu nao fiz alguma coisa que prestasse? Lógico que sim, eu já doei sangue, (sou O- doador universal), tive 4 filhos, plantei mais de uma árvore, aprendi a fazer feijao via internet, fiz terapia por 4 anos, limpo um banheiro como ninguém ,aprendi a falar alemao, (lembrem falar, pode ser relativo) e escrevo um blog, querem mais o que?

10 comentários:

Phophina disse...

Ai, Carla, você é uma pandenga, como diria minha mae. Nao sei daonde vem essa expressao... Mas que você tem um lado muito dark, ah, tem, caramba! A casinha do padre se chama confessionário. Eu adorava inventar lorotas quando era obrigada a confessar no colégio de freiras. Falava altas barbaridades que nao havia feito, só para assustar o padre. E que fim levou a sua super amiga, ex do seu marido? Bom final de semana! Claudia

Anunciação disse...

Eu ia dizer o nome da casinha...Sabe que acho o máximo conhecer melhor as pessoas por esse lado que,sem ter contato direto,nem se imagina?Adorei saber de vocè.Um beijo.

Jaboticaba Preta disse...

Ô loco! Pensei que a mania de visitar e brincar em cemitério fosse doideira só da minha familia hehehe

Adorei teu post. Beijocas

Marcia disse...

Carla então como é o velório do judeu?

Ana disse...

Cara, eu até te acompanharia no meme, mas sabe como é...dá que alguém lê alguma coisa, não gosta e me processa?

Pq agora é moda, né? Até armar pra vc o povo tenta...

o.O

Beijos

olhodopombo disse...

Gostei....
4 filhos?????????
uma verdadeira heroina!
parabens....

Paula disse...

E a sua amiga, ex do seu marido? Continuam amigas?

Flavia Oliveira disse...

Carla, vc já viu esse video?

http://www.youtube.com/watch?v=xbVw7entkxg

Lembrei tanto de vc.... kkkk

Beijos!

Ciça Donner disse...

Como é??? Tu roubaste o namorado da tua melhor amiga e ainda assume isso publicamente??? Ai Carla que feio!!!

Alex... o gostoso, né amigao??? huuhuhuh

Flávia disse...

Retiro o que disse sobre sermos almas gêmeas. Já fui a trocentos velórios, mas nunca pisaria num cemitério para brincar.

Também detesto cachoeira, tenho medo de sair uma cobra da água suja.

Beijinhos.