quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Te deu medo?


A Luma, recebeu um meme sobre estórias horripilantes ou de terror que nos contaram na infância, e que, ainda hoje nos lembramos.Na verdade ela deixou livre pra quem quisesse fazer um post sobre o assunto.


Eu tenho um tanto de histórias de terror,acho até que era o meu passatempo preferido na infância. Apesar de ter medo a gente vivia em turma indo ao cemitério,numa espécie de desafio à nós mesmos.A gente passava algumas horas lá dentro,olhando os túmulos com muito cuidado,comentando sobre fulano ou siclano,olhando fotos,imaginando quem foi quem.Sempre muito de maos dadas.Sei lá eu porque a gente tinha um prazer meio mórbido naquilo.Vai ver era tédio de cidade pequena.

A gente sempre levava um punhado de sal pra jogar pelo ombro direito (ou era esquerdo) quando saísse,porque assim nenhuma alma penada iria te seguir. (Quem foi que inventou isso nao me lembro,mas me lembro que nós acreditávamos piamente nisso).

A gente sempre ia em turminha de quatro ou cinco crianças,(eu devia ter uns 12 anos ). O que sempre nos intrigava naquele cemitério era uma tal de sala de "autópsia" sei lá que raio era autópsia,mas a gente tinha muito medo daquela porta,que nunca se abria. Andar pelo cemitério tudo bem,mas sem chegar muito perto da sala de autópsia.

Aquela placa com aquela palavra esquisita incomodava:"autópsia".

Num desses dias de passeio, a porta da sala se abre e faz o maior barulho de porta rangendo, de dentro sai um moço que nao deu nem muito tempo de ver a cara, mas ele mancava. Bastou!!!Ele até disse qualquer coisa,mas todo mundo gritou tao alto que nao deu nem pra ouvir o que foi.

Disparamos todos,cada um prum lado.

Nós ficamos com o maior medao do moço manco da sala de "autópsia". Ele só podia ser uma múmia ou coisa do tipo.

Corremos por quase um quarteirao,quando uma garota começou a chorar pedindo pra todo mundo parar.

-A gente se esqueceu de jogar o sal por cima do ombro,agora nós trouxemos TODAS as almas penadas com a gente.

Pô ,era muita alma penada pra pouca gente, mas e o medao de voltar lá e enfrentar o homem-da-sala-de-autópsia?

Sei lá eu quanto tempo eu fiquei sem dormir direito depois disso,mas ainda era melhor as almas penadas invisíveis do que a real visao do moço-da-sala-de-autópsia.




Se alguém resolver fazer um post sobre o assunto, deixa o link aqui, ainda que o dia das bruxas seja hoje.

5 comentários:

luma disse...

Carla, também fazia essas travessuras de ir ao cemitério. Acho que é coisa de cidade pequena mesmo! O cemitério da minha cidade tinha o portão principal e no fundo uma saída para entrada de material e funcionários. Eu e uma amiga sempre cortávamos caminho por ali. Paramos de fazer quando começamos a ser seguidas, era a época da "loira" - lembra da loira do banheiro? E inventaram um moço que tinha caído dentro do tanque da Coca-cola e na minha cidade tem distribuidora da Coca-Cola, imagina a correria? Ninguém queria ficar para trás. Era um tal de uma empurrar a outra para trás para ficar na frente.
Tenho histórias demais! E adrenalina era brincar de fantasma!
Adorei que tenha dado continuidade!
Beijus

Lila disse...

adorei sua estória Carla....ri muito imaginando a cena...rs...
lembro que tinha um filme chamado "Quinta Dimensão" que eu morria de medo só de ouvir a musiquinha de abertura...
beijo

Flávia disse...

Que medo ! Visita ao cemiterio ? Soh fui ao cemiterio ateh hoje quando havia enterro de alguem. Eu, hein ?

Carla disse...

Num vem nao,Flávia,só nao tô me sentindo uma doida porque a Luma fazia a mesma coisa,humpf!!!

Lila,Eu tinha medo da música da abertura do Globo Repórter qdo era pequena,

Beijos,

Anunciação disse...

Já sabe o que é autópsia?
Quando eu era criança adorava pedir pra meu pai contar uma histórias amedrontadoras que ele conhecia;ele dizia:mas você não tem medo?Pois é,pai,mas eu gosto de ter medo com a sua história;não é doido,isso?