sexta-feira, 13 de outubro de 2006

Pessoas...


Isso é um assunto muito abrangente, porque pessoas existem de todas as maneiras. Variam na aparencia física,nos gostos, nas esquisitices, e talvez por isso seja tao difícil lidar, trabalhar com gente. Compreender, entender,conviver, tudo.

Casais...nada mais complicado do que uma mulher e um homem vivendo sob o mesmo teto por exemplo. É tudo tao diferente, o universo masculino é completamente diverso do nosso, e por aí vai.

Acho que o ser humano nunca se tolerou tao pouco como nos dias de hoje, basta olhar torto, ou achar que o outro olhou torto, pra sair um quebra-pau.

E continuando com a esquisitice humana eu lido com ela no meu dia-a-dia, e é muito interessante ver como as pessoas lidam com cada coisa.

Por exemplo: Quase toda mulher quer dar uma passadinha no Free-Shop, e quase sempre é vetada pelo marido e a discussao começa ali mesmo no portao de embarque. A maioria dos casais discute ali mesmo na frente de todo mundo, só procuram nao levantar muito a voz. Na maioria das vezes a mulher vem na frente com os documentos,seguida pelo marido que vem segurando as malas ,se o pobre do marido por acaso ficou encarregado de ficar com os documentos e nao os acha,será veemente repreendido pela esposa. Se for um casa lindiano, o homem vem na frente com os documentos e a mulher permanece praticamente muda atrás, no máximo acenando a cabeça diante de alguma pergunta. Casais indianos nao discutem no aeroporto,mas as mulheres indianas também nao vao ao Free-Shop,por isso....


Tirando o MEU marido,homens nao perguntam. Ficam ali pradinhos esperando que a resposta caia do céu.

Essa semana mudaram os regulamentos novamente,ninguém sabe direito o que pode levar na bagagem de mao, uma doideira. Passageiro fica louco da vida quando tem que se desfazer de alguma coisa, eu também ficaria lógico, entao primeiro a gente avisa que nao pode levar, espera a reaçao que pode ser desde um "tudo bem" até uma esperaneada prolongada,ou um xingo, até um grito no caso do senhor passageiro possuir uma ou mais garrafas de whisky.

Pois bem:

-Sr.Passageiro,o Sr.nao pode levar essas garrafas de whisky.

-O que?!? Como nao? Eu comprei esse whisky lá no Duty Free de Santantonio de Catijeró tá fechado, olha só!!!

-Entendo,mas nao pode.Sinto muito.

-Ah é?!? Pois voces vao ver só!!! Eu nao vou dar os meu whisky pra voces nao.

-Nao precisa,aliás nem deve, o senhor pode jogar fora.

-Eu vou beber, é meu!!!

-O Sr.tem todo o direito de beber o whisky, mas se ficar bebado ou fizer xixi nas calças, nao poderá viajar (Acontece muito de passageiros bebados mijados quererem embarcar,já falei isso aqui antes).

Passageiro senhor muito querido e fino sentou-se em um banco e danou a beber. Paassado um tempo, o senhor estava com o corpo quase todo inclinado para a esquerda, algum tempo depois,para a frente e por fim, caiu no chao.

Bebeu mesmo quase tudo, perdeu o voo, saiu de lá de ambulancia, mas nao deu o whisky dele pra ninguém!!!!


7 comentários:

Ingrid Littmann disse...

Carla, adoro quando você fala sobre seu trabalho. Acho interessante sua observção sobre as pessoas dentro do aeroporto e a reação delas.

Mas, cá entre nos, o que acontece com a bagagem recolhida quem fica com isso??????????

beijos
ps. de fora a impressão que dá é diferente; as pessoas que viajam de avião são educadas e comportadinhas , nunca vi gente bebada em aeroporto.

Você deve ver de um tudo, não é.

marcia kawabe disse...

Sujeito esperto esse! Eu também faria a mesma coisa hahahaha!

Carina disse...

HAHAHAHAHAHAHH
Eu queria ter visto esta cena!

Ana Lucia disse...

putz, deviam ter despachado o cara junto com a bagagem ha ha ha ! Beijocas.

Carla disse...

Pasme, Ingrid
Nem todos que viajam sao compotadinhos nao, aliás muito nao sao...
E infelizmente tudo o que é recolhido vai para o LIXO,até caixas de whisky e de leite fechadas.
Lógico que depois o moço ou a moça que recolhem o lixo devem dar uma mexidona lá,
É muita pena,um desperdício de alimento e os cremes carésimos entao?!?
É de dar dó!!!

Bjocas,

Carla disse...

Ah Ana, vc tem toda razao devia ter despavhado o dito com a mala mesmo,
Bjos,

Pururuca do Brejo disse...

Ri muito com o post. No final de semana fui à Paris e, por telefone, a TAP disse que eu não poderia levar garrafas a bordo. Meu marido despachou a mala e??? Afinal, era permitido até 5 litros de bebida. A TAP fez o favor de destruir nossa mochila, com aqueles senhores delicados que cuidam da bagagem e agora tiveram que me dar outra. ha ha ha
Beijos, Pururuca