domingo, 22 de outubro de 2006

Pessoas e despedidas


Estou há 10 dias trabalhando em em outro lugar do aeroporto. Estou ali bem no ponto da despedida como nós chamamos ;antes do controle de passaportes. A partir daquele ponto nao é permitida a entrada de mais ninguém senao o passageiro, entao as pessoas se despedem bem ali debaixo do nosso nariz. Há 2 anos trabalhando no aeroporto mas sempre entretida com documentaçao nao parava muito pra prestar atençao no que acontece ali, assim comonós mesmos nao prestamos atençao na despedida alheia quando vamos ao aeroporto nos despedir de alguém.

Entao fazem exatos 10 dias que eu passei a sofrer e a chorar com a despedida alheia.

Mas olha só que coisa, o que eu tenho a ver com isso? Pois é, nada!!! Mas é incontrolável.

Se as despedidas sao longas e o casal ou família fica ali longamente na nossa frente se despedindo, eu já me sinto parte do contexto e quando vejo já to chorando também, torcendo pra que ele (ela) volte logo, ou para que os avós ou as crianças nao sintam tanta saudade e por aí afora.

Algumas despedidas sao mais emocionantes do que outras. Avós se despedindo de netos sempre emciona, os avós vao ali dando tchauzinho, as crianças agarradas às pernas desejando boa viagem e até a próxima.

Como eu trabalho com as companias aéreas americanas e nesses dias excepcionalmente com a El Al que é israelense, na maioria das vezes sao os avós que veem visitar os netos que estao vivendo aqui.

Há 2 dias atrás um casal fez com que todo mundo chorasse. Se beijaram inúmeras vezes, fizeram mil promessas, mil juras de amor, se abraçaram até que o rapaz literalmente explodisse em lágrimas. E nós também. Homem chorando nao dá. Ninguém aguenta, assim que o moço começou a chorar,começamos nós também. Acho que é porque poucos homens choram assim tao abertamente e menos homens ainda deixam as lágrimas correr assim em público e por causa de uma mulher, assim na frente de todo mundo!!!

-Gente mas que amor é esse? E porque entao que ele vai embora? Será que ele nao vai voltar?

-Gente, olha isso parece filme, novela sei lá, olha lá, acho que eu nunca vou viver um amor assim.

A gente faz mil comentários, acho que cada um monta uma história diferente na cabeça e ficamos trocando idéias depois.

Lógico que a minha educaçao me faz segurar a língua e a gente permanece ali muito discretinha
de sorriso no rosto e sem perguntar absolutamente nada.

Sim, a maioria dos homens nao chora enquanto que as mulheres choram até ficarem de nariz
vermelho.

Antes de ontem uma família estava se mudando para os EUA, e a família toda e amigos foram ali de surpresa com cartazes de boa viagem e boa sorte.

Me lembrei da nossa própria despedida do Brasil,quando vários amigos e a família foram ao aeroporto se despedir. Algumas dessas pessoas eu nem tenho mais contato, outros da família ainda nao revi, as expectativas que nós tínhamos eram tao diferentes das de hoje, me coloquei no lugar daquela família, quando será que eles iriam se rever? Quais eram as expectativas deles?

Impressionante, como uma coisa que até a semana passada eu nem prestava atençao está lá acontecendo todos os dias e emociona tanto.

5 comentários:

doro disse...

carlinha...
mas justo hoje, dia em que estou pensando e sentindo tudo isso vc tinha que escrever????
mas como nada é por acaso, imagine como uma avó sente na véspera do bar-mitzvá do neto que mora lá longe....sou eu!
meio desenxabida, meio sem entender, meio fora de lugar....
bjs!!!

Carina disse...

Eu que já sou uma manteiga derretida quase chorei só de imaginar as situações, agora imagina as choradeiras que eu faço quando vou levar o povo no aeroporto??
Eu choro SEMPRE quando deixo alguém que vai embora, quando eu vou embora e até quando o avião aterrissa na minha cidade meus olhos se enchem de lágrimas só de estar ali de novo, e claro que ao enxergar minha família toda ali (sim, sempre vai todo mundo nos receber e se despedir) já começo a fazer um rio!
Mal de família, minha família chora toda nestes reencontros e despedidas de aeroporto, e podem falam que é brega e que é blasé, mas emoção não se controla e eu CHORO MESMO!

Carla disse...

Doro,todas as vezes que eu vejo netos e avós me lembro de voce,

Carina, se eu que nao sou manteiga derretida, já choro imagina se vc estivesse lá,

Bjocas,

Ingrid Littmann disse...

Carlina, engraçado como uma estoria puxa a outra e a gente faz parte de um todo coletivo........

Adoro esse olhar gentil e humano!
beijos

Camila Manfré disse...

Meu Deeeeeeeeus, como eu chorei só de lembrar da primeira despedida de aeroporto ! Namorar à distância é difícil especialmente por isso! Ainda bem que vou pra Alemanha logo logo e essa vidinha acaba!